POLÍCIA CIVIL PRENDE HOMEM INVESTIGADO POR ESTUPRO DE VULNERÁVEL

A captura do acusado, decorrente do cumprimento de mandado de prisão preventiva, ocorreu na Comunidade do Ariri.
Por: Assessoria de Comunicação

 Foto: Polícia Civil

Nesta sexta-feira, 31, a Polícia Civil do Amapá, através da Delegacia de Repressão aos Crimes Praticados Contra Crianças e Adolescentes, prendeu Ivaldo Lemos Barbosa, de 40 anos de idade, investigado pelo crime de estupro de vulnerável.

A captura do acusado, decorrente do cumprimento de mandado de prisão preventiva expedido pela 2ª Vara Criminal de Macapá, ocorreu no seu local de trabalho, localizado na Comunidade do Ariri, localizada no KM 33 da BR 156.

De acordo com informações prestadas pelo delegado Plínio Roriz, que preside o Inquérito Policial, o investigado, que é padrasto da vítima, uniu-se com a mãe dela quando ainda tinha cerca de 01 ano e 06 meses, porém, conforme a denúncia, os atos libidinosos praticados começaram a ocorrer há cerca de 02 dois anos atrás.

“A denúncia foi feita pela mãe da vítima, em outubro do ano passado, após a adolescente participar os fatos à sua genitora. Ele conviveu com a vítima durante muitos anos, tendo praticado o crime quando ela já possuía aproximadamente 11 a 12 anos. Representei pela prisão preventiva do investigado, a qual foi deferida pelo Poder Judiciário, e, na manhã de hoje os agentes de polícia Aluísio Aragão Jr, Paulo Amaral e Walber da Fonseca deram cumprimento ao mandado”, destacou o delegado.

Em interrogatório, o investigado negou as acusações, afirmando que sempre teve uma relação saudável de pai e filha com a adolescente; tendo tomado ciência da investigação há cerca de dois meses atrás. Alegou ainda que, tem dois filhos com a mãe da adolescente e pretende reatar o relacionamento, bem como que irá provar sua inocência, pois acredita que alguém inventou essa história para prejudicá-lo.

O investigado foi encaminhado ao Iapen, onde ficará a disposição da justiça.

About the author

Related

Correio Amapaense - aqui a notícia chega primeiro