POLÍCIA CIVIL PRENDE 4 PESSOAS DURANTE OPERAÇÃO REALIZADA PELA DELEGACIA DE HOMICÍDIOS

POLÍCIA CIVIL PRENDE 4 PESSOAS DURANTE OPERAÇÃO REALIZADA PELA DELEGACIA DE HOMICÍDIOS
A ação, que visou o cumprimento de mandados de prisão e de busca e apreensão, resultou em prisões por homicídio qualificado e por tráfico de drogas.
Por: Assessoria de Comunicação

 

 Foto: Polícia Civil

Na última sexta-feira, 07, a Polícia Civil do Amapá, através da Delegacia de Homicídios (DECIPE), deflagrou uma operação com o objetivo de cumprir mandados de prisão e mandados de busca e apreensão. A ação culminou em quatro prisões, três, na capital e, uma, no interior do Estado.

As investigações que ensejaram a operação iniciaram após o homicídio Nildo dos Santos Oliveira, morto por disparos de arma de fogo, em 18 de maio deste ano, por volta de 22h45min, na Rua 06 do Conjunto Hospital de Base, no bairro Buritizal, nesta cidade. Dois dos envolvidos na morte de Nildo foram identificados, Gilvani Toloza Ferreira, vulgo Macarrão, e Josafa Dias Carvalho, sendo, o primeiro, responsável por efetuar diretamente os disparos de arma de fogo na vítima e, o segundo, por conduzir o veículo que participou da trama criminosa.

Josafa foi preso no bairro Laguinho e Macarrão foi preso no interior do Estado, precisamente, no distrito do Livramento, passando alguns quilômetros da Comunidade de São Joaquim do Pacuí, onde estava escondido na casa de parentes. Tanto Josafa quanto Macarrão foram indiciados por homicídio qualificado.

Ao longo do dia,  foram cumpridos também, cinco mandados de busca e apreensão em vários imóveis localizados no Conjunto Habitacional São José e no Hospital de Base, onde foram encontradas diversas porções de substâncias entorpecentes. Nesse momento, Edielson Souza Ferreira e Jullian Guimarães Maciel foram presos em flagrante por armazenar e comercializar drogas em um dos alvos da busca.

De acordo com o Delegado Wellington Ferraz, Titular da Delegacia de Homicídios, as buscas foram representadas dentro do mesmo Inquérito Policial que investigou a morte de Nildo por ter uma relação direta com o fato, visto que ele controlava o tráfico na localidade onde morreu.

“Tínhamos informações de que Edielson teria continuado com a venda de drogas no lugar de Nildo e que estaria na posse da arma de fogo da vítima, pois integravam o mesmo grupo criminoso. A motivação, ao que tudo indica, tem a ver com o controle do tráfico na região, já que essa área do Hospital de Base e do Muca estão em intensa disputa por espaço com criminosos do bairro do Congós”, explicou o Delegado.

O Delegado atribuiu o excelente resultado da operação ao comprometimento de todos os policiais civis da DECIPE. “Todas as equipes de Delegados, Agentes e Oficiais da Delegacia de Homicídios participaram da operação, sendo a abnegação e engajamento, de cada uma delas, peças chaves para o sucesso da operação”, destacou.

About the author

Related

WhatsApp chat