POLÍCIA CIVIL CUMPRE OITO MANDADOS DE BUSCA E APREENSÃO DURANTE A “OPERAÇÃO DESVIO” EM MACAPÁ, CUTIAS E ITAUBAL

Por: Assessoria de Comunicação

 Foto: Polícia Civil do Amapá

Nesta quarta-feira, 4, a Polícia Civil do Amapá, por meio da Delegacia Especializada em Crimes Contra a Fazenda Pública (DEFAZ), deflagrou a “Operação Desvio” para o cumprimento de 8 (oito) mandados judiciais de busca e apreensão, nos municípios de Macapá, Cutias e Itaubal, a fim de apurar informações acerca de um suposto esquema de desvio de veículos de alguns órgãos públicos em benefício da Associação de Mulheres de Cutias do Araguari.
Durante a operação foram apreendidos diversos documentos, notebooks, aparelhos celulares e CPUs, os quais serão analisados e periciados. Além disso, houve autuação por crimes ambientais e posse de arma de fogo.
De acordo com o Delegado Rogério Campos, titular da DEFAZ, as investigações que deram origem a essa operação iniciaram-se, em janeiro desse ano, após suspeitas de que um veículo havia sido desviado do Instituto de Florestas do Amapá (IEF/AP). À época do desvio, o referido veículo estava cedido para a Secretaria Extraordinária de Políticas para a Juventude (SEJUV).
No mês de abril do ano corrente, a DEFAZ, mediante ordem judicial, localizou e apreendeu o referido veículo, o qual estava com uma pessoa que havia comprado-o de boa fé. O Delegado verificou que o carro já havia pertencido à Associação de Mulheres de Cutias do Araguari. Ao ser ouvida na Delegacia, a Presidente da Associação apresentou um termo de doação falso para justificar a propriedade do referido veículo.
Em novas diligências, foram identificados outros 04 (quatro) veículos que supostamente foram desviados em benefício da Associação. O Delegado explicou que o “esquema” seguia uma sistemática padrão, que, inclusive, era formalmente registrada no sistema do DETRAN/AP, o que levanta suspeitas de que servidores públicos deste orgão tenham participado.
“Os veículos pertencentes a determinados orgãos públicos eram desviados à Associação simulando uma doação. Posteriormente, eram transferidos à parentes da Presidente e, por fim, vendidos à terceiros de boa fé. A revenda dos veículos para terceiros era realizada pela Sucataria Tubarão, de propriedade do filho e da nora da Presidente da Associação. Na verdade, pude verificar que a Associação de Mulheres de Cutias do Araguari mais se assemelha a uma associação familiar, já que fora constituída e é integrada, basicamente, por um mesmo grupo de familiares/parentes”, destacou o Delegado.
As investigações continuarão até a conclusão do inquérito policial.

IMAGENS RELACIONADAS

About the author

Related

Correio Amapaense - aqui a notícia chega primeiro