Brasil x Uruguai: sete motivos para assistir ao clássico desta sexta-feira

Jogo ocorre às 18h no Emirates Stadium. Rádio Gaúcha abre a jornada às 17h30min

Em 2017, o Brasil goleou o Uruguai, no Centenário, no último clássico disputadoDANTE FERNANDEZ / AFP

Brasil e Uruguai se enfrentam a partir das 18h desta sexta-feira (16), no Emirates Stadium, em Londres, em um dos maiores clássicos do futebol mundial. Ao todo, são sete títulos mundiais em campo – cinco da Seleção e dois da Celeste Olímpica. A rivalidade é mais do que centenária. Em 102 anos de disputas, Brasil e Uruguai já fizeram 75 jogos. Este, porém, será o primeiro fora da América. Confira sete motivos para assistir ao jogão desta sexta-feira. 

1 – Walace

Assim como ocorreu contra a Argentina, Tite não confirmou a escalação para o amistoso de hoje contra o Uruguai. Ontem, o técnico explicou os motivos:

 – Não vou enrolar, falando sobre dúvidas. Não vou divulgar para não dar armas para o adversário.

Mas durante o restante da entrevista, Tite, que estava muito bem-humorado, confirmou pelo menos um jogador.

Garantiu que Walace é o atleta com as características de Casemiro, que está machucado. Portanto, o ex-volante do Grêmio, atualmente no Hannover, será titular. Walace foi vendido ao Hamburgo em janeiro de 2017, depois da conquista da Copa do Brasil de 2016.

No clube alemão, o volante teve problemas e fez parte do primeiro rebaixamento na história da equipe. Nesta temporada, retomou as boas atuações depois de ser negociado com o Hannover.

Lucas Figueiredo / CBF,Divulgação
Walace será titular nesta tarde contra os uruguaiosLucas Figueiredo / CBF,Divulgação

2 – Torreira

A grande atração do amistoso é Lucas Torreira, 22 anos. Ao menos para o Arsenal, clube onde joga o uruguaio e que recebe em seu estádio o confronto.

Contratado em julho, logo depois de ser um dos destaques do Uruguai na Copa, Torreira precisou de pouco tempo para encantar os torcedores. Hoje, tem até música dedicada especialmente a ele, com melodia igual à que os torcedores cantavam para o francês Patrick Vieira, ídolo do Arsenal.

Natural de Fray Bentos, litoral do Uruguai, o jogador começou a carreira no 18 de Julio em sua cidade natal. Pelo clube, cujo distintivo está tatuado na sua panturrilha, jogou até os 17 anos, antes de assinar com o Wanderers. Menos de um ano depois, Torreira já fez as malas para a Itália. Antes de chegar ao Arsenal, passou por Pescara e Sampdoria.

MARTIN BERNETTI / AFP
O volante Torreira, do Arsenal, é a última revelação uruguaiaMARTIN BERNETTI / AFP

3 – Fora da América

O único jogo entre as duas equipes fora da América do Sul ocorreu em Guadalajara, no México, na vitória do Brasil na semifinal da Copa do Mundo de 1970. Ao todo, 17 cidades e oito países diferentes já receberam o clássico.

Ver Descrição / Ver Descrição
O 3 a 1 para o Brasil na semi da Copa do Mundo de 1970, no México, também ficou marcado por este lance histórico de PeléVer Descrição / Ver Descrição

4 – Último amistoso ocorreu em 1995

Brasil e Uruguai não se encaram em uma partida amistosa há 23 anos. A última vez foi em 11 de outubro de 1995, na Fonte Nova, em Salvador. Ronaldo marcou os gols da vitória brasileira por 2 a 0. Esse será o penúltimo amistoso da Seleção de Tite em 2018. Na terça-feira, em Milton Keynes, nos arredores de Londres, a equipe vai enfrentar Camarões, primeiro rival africano do técnico, no cargo desde 2016.

5 – E os ataques?

Ok, jogadores importantes das duas seleções, como o meia Coutinho, o lateral Marcelo, os zagueiros Godín e Giménez e o goleiro Muslera não estarão em campo nesta noite. Por outro lado, o valor de mercado do ataque dos times (Firmino, Neymar, Gabriel Jesus, Cavani e Suárez) soma mais de R$ 2 bilhões – aproximadamente o mesmo valor investido pelo Arsenal para a construção do Emirates Stadium.

Lucas Figueiredo / CBF,Divulgação
Capitão Neymar estará em campo nesta tardeLucas Figueiredo / CBF,Divulgação

6 – Retrospecto

Em 75 clássicos, são 35 vitórias do Brasil, 20 do Uruguai e 20 empates. A última partida ocorreu no Centenário, pelas Eliminatórias da Copa, com uma goleada da Seleção por 4 a 1. Gols de Paulinho (três vezes) e de Neymar.

Pedro Martins / Pedro Martins / MoWA Press
Paulinho passou por cima de Muslera na última partida, no Centenário, e marcou três vezesPedro Martins / Pedro Martins / MoWA Press

7 – Cara nova

A novidade na Seleção para os amistosos é o meia Allan. Aos 27 anos, o jogador do Napoli, da Itália, foi chamado pela primeira vez. Em outubro, ele foi procurado pela Azzurra para que se naturalizasse e defendesse os europeus, o que acabou motivando a comissão do Brasil a convocá-lo.

FRANCK FIFE / AFP
Allan, do Napoli, foi convocado pela primeira vezFRANCK FIFE / AFP

About the author

Related

WhatsApp chat