Apple muda estratégia no Brasil, com preço menor de iPhone, serviço grátis e parceria com varejo

Fila para comprar o novo iPhone na loja da Apple no Village Mall, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio Foto: Bruno Rosa
Bruno Rosa

A Apple inicia nesta sexta-feira no Brasil a venda de sua nova geração de iPhones: o 11, o 11 Pro e 11 Pro Max. O lançamento, antes do habitual, que geralmente ocorre no fim de novembro, traz ainda preços menores que a geração anterior em até R$ 400, apesar do avanço do dólar neste ano no país — que passou de R$ 3,80 para R$ 4,15 em um ano.

O resultado foi a habitual fila na porta das lojas antes das 9h. No Village Mall, na Barra da Tijuca, o único espaço oficial da companhia americana no Rio, as vendas começaram às 10h30m, horário de abertura do shopping. Os preços variam de R$ 4.999 a R$ 9.599.

A companhia ainda vai oferecer de forma gratuita por um ano o conteúdo da Apple TV+, que será lançado mundialmente no dia 1º de novembro para quem comprar os novos iPhones, iPads e Macs. O consumidor tem ainda por 30 dias de forma gratuita o Arcade, streaming de games com quase 100 opções. Cada um dos serviços sai a R$ 9,90 por mês.

A estratégia é fazer frente aos concorrentes no Brasil como a sul-coreana Samsung, que lançou neste ano o S10 e o Note 10, além das rivais chinesas Huawei e Xiaomi, que também vêm apostando em modelos com câmeras mais robustas e maior tamanho de memória interna.

O mercado de smartphones no Brasil atravessa bom momento. A consultoria IDC, que previa queda de 6% nas vendas, registrou alta de 6,2% nos negócios no segundo trimestre deste ano em relação ao ano passado.

A iniciativa da Apple reflete a expectativa da IDC. Segundo Renato Meireles, analista de celulares da consultoria, os fabricantes deverão ofertar smartphones com preços mais baixos, e o varejo deve fazer promoções para estimular o consumo e baixar os estoques.

Neste ano, a Apple também ampliou a negociação com o varejo. Será possível parcelar por até 24 vezes sem juros em redes varejistas. No ano passado, o máximo eram 21 vezes. Nas lojas places, o parcelamento chega a 36 vezes (com juros).

A companhia fechou parceria ainda com a Vivo: ao trocar um modelo anterior (como o Xs de 256GB) há desconto de até R$ 3 mil.

Uma das características mais conhecidas da nova geração de smartphones da Apple é o formato quadrado da base que carrega as câmeras na parte traseira — o que chegou a gerar memes na internet.

Os três modelos de celulares contam com três versões de memória interna, que vão de 64 GB a 512 GB. As câmeras têm resolução de 12 megapixel (na parte traseira) e de 10 megapixel (para selfies), além de funções diferentes como a capacidade de capturar imagens 120 graus.

Há ainda recursos que permitem aumentar a luminosidade da foto em momentos de pouca luz, estratégia semelhante usada por concorrentes como Samsung e Huawei.

Veja os preços:

iPhone 11

Com duas câmeras na parte traseira, tem tela de 6,1 polegadas e três faixas de preços: R$ 4.999 (com 64 GB de memória), R$ 5.299 (128 GB) e R$ 5.799 (256 GB).

iPhone 11 Pro

Com três cameras na parte traseira, tem tela de 5,8 polegadas e custa R$ 6.999 na versão de 64 GB. Há ainda modelo de R$ 7.799 (256 GB) e R$ 8.999 (512 GB).

iPhone 11 Pro Max

É o mais avançado da atual geração. Com tela de 6,5 polegadas e três câmeras na parte traseira, o aparelho custa R$ 7.799 (com 64 GB de memória), R$ 8.399 (256 GB) e R$ 9.599 (512 GB).

About the author

Related

Correio Amapaense - aqui a notícia chega primeiro