R$ 100 mil para a programação do Ciclo do Marabaixo 2018, está garantido.

Além do apoio financeiro, o governo garante às comunidades participantes a segurança pública e licenças do CBM/AP para os eventos.

 

 Foto: Arquivo Secom
Programação do Ciclo do Marabaixo 2018 inicia neste sábado, 31 de março, e encerra no dia 3 de junho

O Governo do Estado do Amapá (GEA) garantiu R$ 100 mil para a programação do Ciclo do Marabaixo. O recurso será disponibilizado por meio de convênio entre a Secretaria Extraordinária dos Povos Afrodescendentes (Seafro) e Secretaria de Estado da Cultura (Secult). O fomento busca fortalecer a tradição cultural amapaense. Além do apoio financeiro, o governo garante às comunidades participantes a segurança pública com policiamento ostensivo e licenças do Corpo de Bombeiros Militar do Amapá (CBM/AP).

A programação terá duração de três meses começando com o Marabaixo da Aceitação, a partir das 17h, no sábado de aleluia, 31 de março, nos quatro barracões onde o evento tradicionalmente se realiza, em Macapá. E encerra no dia 3 de junho.

O “Marabaixo do Trabalhador” acontece no domingo, 1º de maio, partir de 17h, em homenagem aos trabalhadores, quando inicia as atividades no bairro do Laguinho, nos barrocões da Tia Biló e Mestre Pavão.

Até 3 de junho, quando finaliza o ciclo, ocorrerão diversos rituais e orações tradicionais nos quatro barracões, localizados nos bairros Laguinho e Favela, redutos das famílias do Mestre Pavão, Tia Biló, Dona Dica Congó e Tia Gertrudes e no distrito de Campina Grande, na zona rural de Macapá.

Serão realizadas missas, novenas, rodas de marabaixo de diferentes grupos, ladainhas, brincadeiras para as crianças, marabaixo de Corpos Chisti, café da manhã, almoço dos inocentes, retirada de mastros no Curiaú, enfeite, levantamento e derrubada de mastros, domingo da murta e outros.

Paralelo à programação, serão promovidas palestras em escolas, para disseminação da cultura do marabaixo, além de apresentações em praças, aeroporto e terminal rodoviário como forma de divulgação do evento e atrair a participação da sociedade.

A coordenadora de Ações Afirmativas do Ciclo do Marabaixo na Seafro, Valdinete Costa, adianta o que os espectadores poderão encontrar nas programações. “Com direito a rodas de marabaixo entoando o ladrão [composições cantadas], será servido o tradicional caldo e a gengibirra. Tudo para fazer com que a sociedade se sinta participante desse processo”, destacou.

Este ano, a programação na Favela homenageia a pioneira Natalina Costa, falecida em 2017. Além da programação do Ciclo do Marabaixo, os organizadores retomam o projeto da Biblioteca, interrompido por causa do furto ocorrido no barracão e inauguram o Museu Natalina Costa, que contém informações da história da pioneira. A biblioteca e o museu irão funcionar no barracão da Tia Gertrudes, aberto para a comunidade a partir de 5 de maio.

Mastros e Murta

Dois grandes momentos do ciclo são o “Marabaixo do Mastro” e o “Marabaixo da Murta”. Os mastros são cortados no campo do Curiaú – ritual do qual participam todas as famílias tradicionais, que plantam novas mudas no lugar da árvore extraída e, posteriormente, são utilizados para erguer a bandeira da Santíssima Trindade e do Divino Espírito Santo.

Programação

31/03 (sábado)

De 17h às 24h – Marabaixo de Aceitação

01/05 (terça-feira)

De 17h às 22h – Marabaixo do Trabalhador

05/05 (sábado)

De 9h às 12h – Retirada do Mastro nas Matas do Curiaú

De 17h às 24h – Marabaixo do Mastro

18 a 26/05

Às 19h – Ladainhas em Louvor a Santíssima Trindade

19/05 (sábado)

Às 16h – Corte da Murta

20/05 (domingo)

De 17h às 07h do dia seguinte – Marabaixo da Murta

27/05 (domingo)

Domingo da Santíssima

09h – Missa da Trindade na Igreja da Ss. Trindade

10h – Café da Manhã no Barracão

12h – Almoço dos Inocentes

14 às 18h – Tarde de brincadeiras para as crianças

31/05 (quinta-feira)

De 17h às 22h – Marabaixo de Corpos Christi

03/06  (domingo)

De 17h às 22h – Derruba do Mastro

About the author

Related

Correio Amapaense - aqui a notícia chega primeiro