POLÍCIA CIVIL INTERROGA POLICIAL MILITAR PRESO PREVENTIVAMENTE PELOS CRIMES DE FEMINICÍDIO E TENTATIVA DE HOMICÍDIO

Delegado Edmilson Ferreira, titular da Delegacia de Crimes contra a Mulher de Santana, representou pela prisão preventiva do acusado, a qual foi deferida, nesta terça-feira, 02, pelo Poder Judiciário.
Por: Assessoria de Comunicação

Na manhã desta quinta-feira, 04, a Polícia Civil do Amapá, através da Delegacia de Crimes contra a Mulher de Santana (DCCMS), interrogou o policial militar Luiz Otávio Morais Luz Júnior, que teve a sua prisão preventiva decretada em razão de ser acusado pelos crimes de feminicídio e tentativa de homicídio.

O policial militar é acusado de tentar matar a ex-mulher e o atual namorado dela, na madrugada do último dia 24, dentro de um motel no município de Santana. O acusado foi preso em flagrante, mas foi liberado após audiência de custódia.

O Delegado Edmilson Ferreira, titular da DCCMS, representou pela prisão preventiva do acusado, a qual foi deferida, nesta terça-feira, 02, pelo Juizado de Violência Doméstica de Santana.

“Constatamos que o ocorrido não foi um fato isolado, pois a vítima sofreu violência doméstica durante os três anos em que conviveu em união estável com o acusado, o que ocasionou a separação deles e a concessão de medidas protetivas para ela. Além das ameaças e de todos esses fatos, considerei que a representação pela prisão preventiva do acusado era medida indispensável no caso, que se trata de feminicídio em relação à ex-companheira dele e de tentativa de homicídio quanto ao atual namorado dela. A DCCMS está em alerta para fatos que abalam a ordem pública e sempre procura dar uma reposta rápida para a sociedade”, destacou o Delegado.

Após o deferimento judicial da representação pela prisão preventiva do acusado, a Equipe de Capturas realizou algumas diligências com o objetivo de localizá-lo e negociou a sua apresentação espontânea no Ciosp do Pacoval, o que, de fato, ocorreu conforme o combinado.

Conforme informações prestadas pelo Delegado Edmilson, em interrogatório, o policial militar negou que havia terminado o relacionamento com a ex-mulher, em fevereiro deste ano; que, na noite anterior aos fatos eles estavam juntos e havia combinado de passar o dia seguinte com ela, mas não conseguiu encontrá-la em casa e nem conseguiu contato telefônico, tendo assim, ido procurá-la no motel. Chegando ao local, Luiz Otávio viu o carro da ex-companheira e bateu na porta do quarto, momento em que sua arma deu dois disparos acidentais, tendo, um deles, atingido a fechadura da porta, e, o outro, o homem que estava com ela.

Após os procedimentos legais, o acusado foi encaminhado à Politec para a realização de exame de corpo delito, e, posteriormente, ao Iapen.

 Foto: Polícia Civil do Amapá
Delegado Edmilson Ferreira

About the author

Related

WhatsApp chat