Infraero promete para o primeiro semestre entrega do novo aeroporto de Macapá

Em visita técnica às obras do terminal de passageiros e acesso viário, o governador Waldez Góes anunciou projeto de urbanização para o entorno.Por: Eloisy Santos

 Foto: Maksuel Martins / SecomObra está orçada em R$ 163,2 milhões, com recursos da Infraero e bancada federal, com articulação do governador Waldez Góes

O governador do Amapá, Waldez Góes, considera essencial ao plano de desenvolvimento econômico do Amapá, a conclusão do Aeroporto Internacional Alberto Alcolumbre. O novo aeroporto está com o terminal de passageiros e acesso viário 90% concluídos, o que foi constatado durante visita técnica realizada nesta quarta-feira, 16, ao local.

O novo aeroporto, em sua totalidade (terminal de passageiros, estacionamento e pátio de aeronaves), está orçado em R$ 163,2 milhões, com recursos da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e bancada federal, com articulação do governador Waldez Góes.

Desenvolvimento

O chefe do Executivo estadual destacou que o Amapá está bem localizado estrategicamente, seja para transporte fluvial ou aéreo, de pessoas ou de cargas, por isso é essencial contar com uma infraestrutura capaz de acompanhar o crescimento do Estado.

“Para nós é muito importante contar com um aeroporto de primeiro mundo, pois ainda não temos ligação terrestre com o restante do país. Então, no que tange ao transporte multimodal, o aéreo é indispensável. Esse investimento é fundamental ao processo de desenvolvimento que o Amapá passa a viver, junto ao processo de verticalização das cadeias produtivas e de industrialização que, para nossa gestão, são prioridades”, explicou o governador.

Góes pontuou, ainda, que a nova concepção do aeroporto vai oportunizar circulação de renda e lazer na capital e, portanto, maior qualidade de vida à sociedade. “Vamos contar com uma concepção de aeroshopping, que vai gerar postos de trabalho, atrair turistas e famílias amapaenses ao lazer, entretenimento e gastronomia. São poucas cidades que tem o privilégio de ter um aeroporto com essa infraestrutura”, registrou Góes.

Urbanização

O governador considerou, ainda, que o Estado prepara um projeto de urbanização e mobilidade urbana que vai agregar ainda mais valor ao novo aeroporto. Trata-se da Linha Azul, vias interligadas que vão circundar todo o entorno da área da Infraero, ligando bairros como o São Lázaro, Pacoval, Jesus de Nazaré, chegando ao aeroporto, no bairro Santa Rita.

De acordo com a Secretaria de Estado dos Transportes (Setrap), a Linha Azul foi pensada junto com as equipes técnicas da Infraero. O projeto está em fase de conclusão e a previsão é de que as obras iniciem até 2020.

Novo aeroporto

Conforme explicou o gerente de fiscalização da Infraero, Heuriê Marcelo, as obras do novo aeroporto estão divididas em duas fases. A primeira, que está 90% concluída, contempla o Terminal de Passageiros e o acesso viário. Esta fase, segundo a Infraero, deve ser finalizada e colocada em funcionamento até o primeiro semestre de 2019. De acordo com Heuriê, as obras já chegaram a gerar mais de 900 empregos diretos. Atualmente, são 608 postos de trabalho gerados diretamente, entre outros, de forma indireta.

Depois da primeira etapa entregue, explicou o gerente, iniciará a segunda fase. O aeroporto antigo será demolido para dar lugar às obras do pátio de aeronaves. Por sua vez, o pátio deve ser concluído em agosto de 2019.

De acordo com a Infraero, no terminal de passageiros, serão 25 cabines de check in – 15 a mais que o atual. A instalação se assemelha a dos aeroportos mais modernos do mundo. A nova estrutura ampliará o número de pontos comerciais de 24 para 70, dentre lojas, restaurantes panorâmicos e outros. As vagas de estacionamento do aeroporto de Macapá, atualmente somam 178. Com a nova estrutura, será ampliado para 780 vagas.

O pátio terá capacidade para 8 aeronaves de grande porte e 17 aeronaves de pequeno porte, além de três pontes de embarque, cumprindo os requisitos da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

“O projeto é pensado para daqui a 35 a 40 anos. Pensamos no macro para atender à demanda crescente no Amapá. O novo aeroporto vai aumentar de 2 milhões para 5 milhões a capacidade de passageiros ao ano, e conta com um moderno sistema de automação que passa pelas esteiras, iluminação e pontes de embarque”, explicou o gerente, registrando que a automação do aeroporto deve gerar economia de cerca de 40% em iluminação. E que as pontes de embarque serão nos moldes das existentes em Dubai, que se movem a 180° e atendem a qualquer altura de aeronave.

Articulação

O deputado federal Vinícius Gurgel foi um dos mais envolvidos, na bancada, com a articulação de recursos para o novo aeroporto. Durante a visita, ele destacou a magnitude do empreendimento.

“Com certeza daremos um salto de qualidade muito grande no aeroporto de Macapá, reunindo, inclusive, pontos comerciais com serviços essenciais à área, como agências de viagens. A estrutura moderna vai melhorar muito a qualidade de vida das pessoas e as condições de trabalho dos que atuam na aviação civil”, concluiu o deputado.

Também compuseram a comitiva, o vice-governador do Amapá, Jaime Nunes; a deputada estadual Luciana Gurgel; a superintendente do aeroporto Alberto Alcolumbre, Keyla Moraes; além de membros da equipe de governo e técnicos da Infraero. A imprensa local acompanhou a visita técnica.GALERIA DE FOTOS

 Créditos:

Maksuel Martins/Secom

About the author

Related

WhatsApp chat